Publicado em 26-08-2012 às 1:06 | por Bruna Rasmussen

As 5 imagens mais impressionantes do espaço pelas lentes do telescópio Hubble

Fotos foram escolhidas pelo concurso “Hubble’s hidden treasure”, que contou com a participação de quase 3 mil pessoas.

As mais belas fotos do Hubble

Fonte: Reprodução/rgendler2012/gekzilla/rootlake

Quantas imagens tiradas pelo telescópio Hubble você já viu por aí? E quantas você acha que ele captura todos os dias? De acordo com a Agência Espacial Europeia, milhões de observações já foram feitas desde seu lançamento, em 1990. Mas boa em boa parte delas falta charme e brilho para conquistarem os internautas e leigos em astronomia.

Foi então que sugiu a ideia de realizar um concurso para que o público em geral vasculhasse nos arquivos do Hubble para encontrar imagens do universo que fossem bonitas, mas que estivessem perdidas em meio a tantas outras. A isso foi dado o nome de “Hubble’s Hidden Treasure” (os tesouros perdidos do Hubble, em tradução livre).

Foram enviadas quase 3 mil imagens, que foram separadas em dois grupos: as “cruas” e as que foram modificadas usando algum programa de edição como o Adobe Photoshop. Abaixo você vê as dez melhores imagens que receberam uma ajudinha extra de editores. Para os ganhadores, havia prêmios como iPads, autógrafos de astronautas, livros e DVDs.

1. Josh Lake – Região de formação de estrelas NGC 1763

Região de formação de estrelas NGC 1763

Fonte: Reprodução/rootlake

A imagem não está em suas cores originais, já que o nitrogênio e o hidrogênio presentes na região produzem uma luz avermelhada que é difícil de ser percebida pelo olho humano. A NGC 1763 é parte da região de formação estrelar N11, na galáxia anã Grande Nuvem de Magalhães.

2. Andre van der Hoever – Galáxia espiral Messier 77

Andre van der Hoever – Galáxia espiral Messier 77

Fonte: Reprodução/Andre vd Hoever

O holandês Andre van der Hoever usou diversas imagens da mesma região combinadas para criar esta bela visão da galáxia espiral Messier 77, descoberta por Pierre Méchain, um astrônomo francês, em 1780.

3. Judy Schmidt – Estrela XZ Tauri

Judy Schmidt – Estrela XZ Tauri

Fonte: Reprodução/gekzilla

A XZ Tauri é uma estrela recém-nascida que, na imagem, aparece liberando gases à sua volta e iluminando uma nuvem de poeira. A área foi capturada pelo Hubble em apenas duas cores, portanto, Judy Schmidt teve um trabalhão para ajeitar a imagem.

4. Renaud Houdinet – Nebulosa de Chamaleon I

Renaud Houdinet – Nebulosa de Chamaleon I

Fonte: Reprodução/r.houdinet

A Chamaleon I é uma nebulosa, uma nuvem de poeira, hidrogênio e plasma, gigantesca próxima ao polo sul celeste e, devido a seu tamanho, não caberia inteira em uma só captura do Hubble. O francês Renaud Houdinet conseguiu juntar todas as partes em uma só imagem que, embora não tenha ficado perfeita devido a dificuldades de captura do próprio telescópio, impressiona.

5. Robert Gendler – Galáxia espiral Messier 96

Robert Gendler – Galáxia espiral Messier 96

Fonte: Reprodução/rgendler2012

A Messier 96 é uma galáxia espiral que foi descoberta pelo mesmo astrônomo francês que visualizou a Messier 77, no século XVIII. Robert Gendler, conhecido editor de imagens espaciais, fez um belíssimo trabalho deixando-a colorida e simplesmente encantadora.

O Hubble

Ele não é o maior, mas com certeza é o telescópio mais importante do mundo. O Hubble foi pensado já na década de 40, mas apenas em 1990 chegou ao espaço. Com lentes poderosas, ele é capaz de capturar tanto a luz visível como a luz infravermelha, que não pode ser captada pelos olhos humanos.

A partir dele, a humanidade pode enxergar além de sua própria galáxia e perceber fenômenos como supernovas e buracos negros.

  • Fontes:


Tags: , , , ,






De volta ao topo ↑