Publicado em 22-11-2012 às 23:48 | por Bruna Rasmussen

Como pessoas que fumam, bebem e comem porcaria conseguem chegar aos 100 anos?

Vaso ruim não quebra! Ciência explica porque ser saudável não basta quando o assunto é longevidade.

Longevidade

Fonte: Reproduçao/stock.xchng

Todo mundo está careca de saber que, se você quer viver bastante, é melhor começar a fazer exercícios, a comer frutas e verduras todos os dias e mandar o estresse para longe. Mas como a ciência explica vovós e vovôs que são ranzinzas, fumam, bebem, só comem besteira e conseguem chegar aos 90, até aos 100 anos com facilidade?

É, aquela história de que vaso ruim não quebra fácil acaba de ganhar bases científicas. De acordo com a Scientific American, mais do que ser saudável, a longevidade depende de certos genes. Isto é, os cientistas acreditam que viver bastante é, de certa forma, uma característica hereditária: se você tem muitos parentes que viveram bastante, é provável que você viva mais.

Loteria da vida

A especulação acontece em nível celular. O tempo todo, as nossas células são bombardeadas e destruídas por radicais livres e não é sempre que o corpo consegue consertá-las.

Mas se você é o felizardo portador de determinados genes, não importa quanta nicotina entre em seu pulmão ou quanta cerveja acompanhe o almoço: você tem o poder de consertar as suas células e vai viver mais.

Agora, como saber se você ganhou ou não na loteria da genética? Isso só o tempo vai dizer. Então, enquanto os cientistas não encontram qual exatamente é o gene e não o transformam em um elixir da longa vida, o jeito é confiar na academia e em uma alimentação saudável.

  • Fontes:


Tags: , ,






De volta ao topo ↑