Publicado em 30-10-2012 às 19:19 | por Bruna Rasmussen

Cerveja com 65% de teor alcoólico é mais forte que whisky

Chamada de Armageddon, bebida fabricada na Escócia pode entrar para o Guinness.

Armageddon

Fonte: Reprodução/Simon Price

Uma latinha de Skol tem 4,7% de teor alcoólico. Um vinho, 12% e um whisky dificilmente passa dos 45%. Chamada de Armageddon, esta cerveja criada na Escócia possui nada menos que 65% de álcool em sua composição e poderá entrar para o Guinness como a cerveja mais forte do mundo.

Apesar da marcante presença do álcool, a Brewmeister Brewery, responsável pela criação da cerveja, descreve a Armageddon como sendo levemente doce, bem maltada e liquorosa, sendo recomendado que se beba em pequenas doses. O DailyMail, que tomou um gole da bebida, afirmou que a cerveja é realmente diferente, mas que é suave, não ardendo na garganta como uma tequila, por exemplo.

O processo de criação

Qualquer cerveja comum pode ser feita com até 12% de álcool usando apenas água, cevada e lúpulo no processo tradicional. No entanto, ao atingir esse teor alcoólico, o álcool produzido faz com que o malte pare de transformar o açúcar em mais álcool. Então, foi preciso recorrer a um método alternativo para que o álcool continue sendo produzido mesmo quando a bebida já esteja com 10% ou 12% de teor alcoólico.

Cerveja deve ser apreciada como um licor

Fonte: Reprodução/Simon Price

A mágica da cervejaria escocesa é basicamente deixar a cerveja a 0°C, o que faz a água congelar, mas o álcool permanece líquido. Então, tudo o que a Brewmeister tem de fazer é se livrar do gelo, ficando com uma mistura mais densa e muito mais alcoólica.

A cervejaria compara o processo ao inverso do que acontece na fabricação do whisky, quando a mistura é aquecida até que o álcool evapore e este é recuperado apenas durante o processo de condensação e envelhecimento que acontece em barris.

Cada garrafa de 330 ml é vendida nas lojas da Escócia por até US$ 129 (cerca de R$ 260), mas pode ser comprada online por metade do preço.

  •  Fontes:


Tags: , , ,






De volta ao topo ↑