Publicado em 02-08-2012 às 20:38 | por Bruna Rasmussen

Como um gato cai do 19º andar e não morre?

A Teoria da Evolução e um pouco de Física explicam como os felinos caem de alturas vertiginosas e saem com apenas alguns arranhões.

Gatos sobrevivem a quedas, mas não se esqueça da tela de proteção! Fonte: Reprodução/stock.xcng

Se o seu cãozinho caísse do oitavo andar de um prédio, ele provavelmente morreria. Se você caísse, quebraria pelo menos as duas pernas. Mas e se um gato se jogasse lá de cima? Ele sairia vivo. Com alguns arranhões, talvez, mas vivo.

Um estudo realizado em 1987, publicado pelo Journal of the American Veterinary Medical Association, consistiu em arremessar 132 gatos da janela de um prédio. Mais de 90% deles sobreviveram e apenas 37% precisaram ser socorridos. Um dos bichos, inclusive, caiu do 32o andar e saiu apenas com um dente quebrado e com um ferimento no pulmão – nada que não pudesse ser curado em menos de uma semana.

Superfelinos

Mas o que essas criaturas têm que lhes permite escapar dessas enrascadas sem maiores danos? De acordo com uma pesquisa da BBC, um pouquinho de Física e a evolução natural dos felinos explica tudo isso.

Os gatos têm uma área de superfície proporcionalmente maior que seu próprio peso. Em um truque inteligente, os bichinhos esticam as patas, formando uma espécie de paraquedas durante o “voo”. Isso reduz a velocidade com que atingem o chão, minimizando as chances de ferimentos. Se a velocidade terminal de uma pessoa, por exemplo, é de 193 km/h em média, a velocidade com que um gato aterrissa é de apenas 97 km/h.

A física da queda do gato. Fonte: Reprodução/Stanford University

Além disso, os bichanos têm um “sexto sentido” que lhes permite saber onde está o chão – funciona de forma semelhante ao equilíbrio humano. Assim, quanto maior for a altura da queda, mais tempo o gato tem para se virar e cair com as patas no chão. Nesse momento, as patas se dobram, absorvendo boa parte do impacto em vez de quebrar seus ossos.

Os cientistas lançam um alerta para os gatos comilões. Animais gordinhos têm menos flexibilidade para sobreviver a esse tipo de situação. E, para não arriscar, é sempre bom lembrar: mantenha as janelas fechadas ou com tela.

  • Fontes:


Tags: , , ,






De volta ao topo ↑