Publicado em 10-11-2012 às 21:24 | por Bruna Rasmussen

Crocodilos têm o rosto mais sensível do que a ponta do dedo humano [vídeo]

Pesquisa mostra que réptil é menos durão do que parece.


Você já parou para pensar que um crocodilo, aquele animal perigoso e forte, no fundo é sensível? Isso foi o que descobriram cientistas da Vanderbilt University, nos EUA. O Dr. Duncan Leitch pesquisou dezenas de crocodilos vivos e mortos e acabou chegando à conclusão de que as bolinhas presentes no rosto do animal não servem para deixar o crocodilo à prova d’água, como se pensava antes, mas são sensores extremamente precisos e cruciais para a sua sobrevivência.

Só na boca do animal são mais de 4 mil sensores, prontos para auxiliá-lo a encontrar o jantar. Segundo os cientistas, esse sistema “permite não só que eles detectem movimentos na água criados pela presa, mas que também determinem a localização dela.”

Os sulcos são terminações nervosas vindas do nervo trigêmeo e carregam todas as sensações do rosto do bicho para o cérebro, permitindo uma ação rápida.

Sensores presentes no rosto do crocodilo

Fonte: Reprodução/Discover Magazine

Sensíveis ao toque

Os crocodilos foram testados por Leitch em diversas situações. O pesquisador colocou-os em água salgada, um ambiente completamente diferente ao que estão acostumados, e até tentou emitir uma corrente elétrica a partir de baterias de 9 volts. O resultado? Os animais nem se moveram.

Agora, bastou derrubar um filamento de nylon sobre o rosto dos crocodilos para que os nervos respondessem imediatamente. O pesquisador chegou à conclusão de que os sensores mais apurados presentes na pele do animal conseguem reagir a forças de até 78 milionésimos de Newton, o que torna o rosto dos crododilos até dez vezes mais sensível do que a ponta do nosso dedo.

A descoberta foi tão inesperada que, como contou Leitch à National Geographic, eles chegaram a testar a sensibilidade humana, tentando sentir o mesmo filamento de nylon usado nos crocodilos. Nenhum dos dois conseguiu senti-lo.

  • Fontes:


Tags: , , ,






De volta ao topo ↑